Ir direto para menu de acessibilidade.

Temos 55 visitantes e Nenhum membro online

Página inicial > Últimas Notícias
Início do conteúdo da página

AMA busca suporte para nova sede

  • Publicado: Quarta, 11 de Outubro de 2017, 11h07
  • Última atualização em Quarta, 11 de Outubro de 2017, 11h08
  • Acessos: 99
imagem sem descrição.

Eu passei cinco anos praticamente morando em hospitais com meu filho. A maior benção que apareceu na minha vida foi o AMA. Botar a cabeça no travesseiro sabendo que ele e outras crianças com a mesma condição serão bem acolhidos na nova escola será outra benção”, se emociona Jandira Pagani, mãe do Gabriel de 11 anos e Presidente da Associação de Amigos de Autistas (AMA), de Criciúma. Mas para o sonho da presidente da associação se concretizar a instituição busca auxílio para sua maior dificuldade: alugar uma nova sede para atender as crianças, pois o espaço atual não comporta a estrutura e demanda da instituição.

Uma nova área já está no radar da diretoria da AMA, o Centro Educacional Bem-me-quer, no Bairro Pinheirinho. Contudo, uma das exigências do contrato de aluguel de R$5mil é a xxxx de um fiador. “Por conta de algumas manutenções no local, conseguimos um preço menor pelo aluguel. Mas para fechar esse acordo precisamos de um fiador que tenha uma renda média de R$15mil ou dois fiadores com valores razoáveis também”, explica a advogada da AMA, Patrícia Bonfim.

O município chegou a oferecer a estrutura do Centro de Atendimento Socioeducativo provisório (CASEP) para abrigar a nova sede da entidade, no entanto o valor da reforma para o local torna impraticável a negociação. “Só de começo, foram calculados R$300mil de reformas no local”, arremata a diretora pedagógica, Josane Buratto..

Estrutura inviável

Somado as reclamações da falta de espaço e estrutura oferecidos aos atuais 95 alunos, a exigência de mudança chega também por determinação do Corpo de Bombeiros e do próprio Ministério Público. “Assumimos um acordo junto ao Ministério Público para nos regularizarmos até o fim de ano. Ou seja, adequamos o espaço atual as normas ou nos mudamos. O espaço atual é inviável e precário, está insalubre para nós e para os alunos. Este último verão, o calor era tanto que ficamos todos amontados em uma sala que tinha condicionador de ar. A irritabilidade deles inclusive aumenta”, detalha Josane.

A importância dos convênios, segundo o diretor executivo, Joelson Scarpari, é vital para angariar novas verbas e manter o capital mensal da instituição. “Mas para fechar esses convênios precisamos estar inscritos junto ao Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA). Para isso, temos de nos regularizar e nos adequar às exigências requeridas”, destaca.

O futuro e a nova sede

 A instituiçãosem fins lucrativos atende autistas de quatro a 36 anos da AMESC e AMREC, desde 2001. A lista de espera na entidade chega a 46 pessoas. “Só essa semana já fechamos mais quatro matrículas”, completa a diretora.

A nova sede representa, sobretudo, qualidade de vida e tratamento digno aos alunos e a possibilidade de abrigar novos estudantes da lista de espera, de acordo com a presidente. “Nesta nova sede há ventilação, o espaço é mais aberto, tem até parquinho e uma quadra coberta, esse último é uma das exigências para inscrição no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA). Posso afirmar que 90% vai melhorar e isso reflete neles”, pondera Jandira.

Nosso sonho é que a comunidade nos enxergue realmente como uma escola. E isso será conseguido a partir da nova sede. É um trabalho social, uma contribuição que fazemos a comunidade, só pedimos que isso seja visto, reconhecido e apoiado”, esclarece a diretora. “Não somos só uma escola, somos como uma família para estudantes e seus familiares. Por isso, contamos com a benevolência da sociedade para manter nossas atividades”, complementa.

Pedágio Solidário AMA

Para manter as operações na escola, além do apelo por um fiador, a presidente da instituição destaca que todos podem contribuir ao seu modo. “Tudo é bem vindo, material de limpeza, papel toalha, sacos de lixo, papel higiênico, doações de qualquer tipo”, explica Jandira. Para aqueles que não podem contribuir com doações ou materiais específicos, a diretora salienta a importância do trabalho voluntário para o andamento das atividades, especialmente nos Pedágios Solidários realizados pela AMA. “O próximo será dia 28 de outubro e voluntários são bem vindos”, ressalva ela.

Para contribuir com a entidade, o telefone para contato é 34336633 ou 34629804

Fonte: 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página